Dieta x Genética

   Hoje em dia é tanta dieta que aparece ou é reformulada que não sabemos o que funciona e o que faz mal.  Então, lendo a matéria da Revista Época de 7 de fevereiro de 2005, que falava justamente disso, busquei entender e colocar aqui a discussão., vamos a ela.

   É verdade que alguns nutrientes fazem bem ao organismo e o protegem contra doenças, mas não sabemos como é essa atuação nas células, quanto consumir de cada alimento para ter os melhores resultados ou ainda como algumas dietas funcionam para uma pessoas e para outras não.  Com essas dúvidas acabou dando origem a uma nova área da ciência, a a nutrigenômica, que estuda a interação dos nutrientes e  genes humanos.  Como isso pode ajudar?  Explico, essa ciência irá estudar cada organismo e como cada um reage particularmente a cada nutriente, auxiliando assim uma formulação da melhor dieta,  de forma personalizada, ajudando na perda de peso sem efeito sanfona, preservar a sua saúde e uma vida mais saudável.  Legal, né?!

   Eles fazem testes genéticos afim de identificar qualquer tipo de mutação que favoreça o aparecimento de alguma doença específica, e com isso, traçar estratégias alimentares que serão capazes de neutralizar a atuação “ruim” desses genes.   Ex: umas pessoas podem ter recomendações de consumirem mais brócolis e outras a passarem longe de qualquer tipo de gordura.  Parece uma coisa bizarra, surreal, mas achei de grande importância para a ciência e o conhecimento humano.

   O objetivo dessa ciência não é descartar tudo que aprendeu sobre a propriedade dos alimentos, mas sim refinar essas informações sobre a troca bioquímica entre os nutrientes e organismos.  Por exemplo: já encontraram uma substância da soja, a lunasina, afeta 123 genes envolvidos no surgimento do câncer de próstata e ajuda a barrar o crescimento do tumor; que o brócolis estimula a ação de genes envolvidos na produção de antioxidantes que mantém artérias saudáveis.

pirâmide alimentar

  Os teste genéticos disponíveis hoje limitam-se a identificar mutações em poucos genes, por isso, ainda são instrumento limitado de adequação de hábitos alimentares.  O trabalho conjunto de nutricionistas e nutrólogos é a melhor forma de atingir o sucesso.  Para personalizar a sua dieta, eles irão analisar o histórico familiares, os hábitos e a rotina do paciente, quando necessário, solicitam exames de sangue.

   Uma boa reeducação alimentar leva pelo menos 6 meses para apresentar um resultado positivo.  O sucesso ou fracasso das dietas tem muito a ver com a genética de cada indivíduo, além da motivação e do compromisso de cada um com o novo projeto de vida.  Os genes atuam no ritmo do metabolismo e o modo como a gordura é absorvida pelo organismo.  O metabolismo de cada pessoa é único, portanto o planejamento de reeducação alimentar deve ser individual.

Dilema das Dietas da Moda:

  • Dr Atkins – rica em proteínas e gorduras e pobre em carboidratos (apenas 20% do total), produz rápida perda de peso, mas pode provocar aumento de ácido úrico no sangue.
  • South Beach – divide os carboidratos em bons (fibras) e maus (refinados) e recomenda a ingestão apenas dos bons.  Permite o consumo de gorduras insaturadas (peixes, azeites e etc).
  • Tipo Sanguíneo – indica uma dieta diferente para cada tipo sanguíneo: carnívoro (grupo O), vegetariano (grupo A) e baseada em laticínios (grupo B).  Tenho usado essa e não vi tanto sofrimento.
  • Beverly Hills – recomenda apenas um tipo de fruta durante 15 dias, sem limite de quantidade, também conhecida como dieta do abacaxi.

Como anda sua alimentação? (questionário para verificar seus hábitos alimentares, levar em conta os últimos 6 meses – elaborado pela nutricionista Mariana Del Bosco)

  1. Pela manhã, você se alimenta de que forma?
    • (a) não tomo café da manhã
    • (b) tomo só um café preto
    • (c) como sempre pão, cereais e leite (ou derivados)
    • (d) costumo comer pão integral, leite (ou derivados).  Também incluo frutas
  2. Você tem o hábito de:
    • (a) fazer apenas 2 refeições durante todo o dia
    • (b) tomar café da manhã, almoçar e jantar
    • (c) comer pouco nas refeições principais e beliscar durante o resto do dia
    • (d) fazer as 3 refeições principais e entre elas comer um pequeno lanche
  3. Como está sua ingestão de frutas?
    • (a) nunca como frutas
    • (b) como no máximo 1 ou 2 por semana
    • (c) como uma fruta quase todos os dias
    • (d) como pelo menos uma porção por dia
  4. Com que frequancia você ingere bebidas alcóolicas?
    • (a) 4 ou mais vezes por semana
    • (b) de 1 a 3 vezes por semana
    • (c) apenas em poucas ocasiões
    • (d) nunca bebo nada alcóolico
  5. Entre alimentos integrais e “refinados” (arroz, pão e etc), você:
    • (a) nunca opta pelos integrais
    • (b) raramente consome algum integral
    • (c) às vezes opta por algum integral
    • (d) sempre escolhe os integrais
  6. Na hora do almoço, como costuma ser sua alimentação?
    • (a) tenho hábito de comer muito, já que essa é a principal refeição
    • (b) como somente uma saladinha de folhas
    • (c) como vegetais, uma porção de arroz e de feijão e algum tipo de carne magra.  Para finalizar, não dispenso a sobremesa.
    • (d) encho meu prato de salada e sempre coloco no prato um grelhado e uma porção de arroz ou de massa.  Quando como sobremesa, costumo dar preferência às frutas.
  7. Quanto tempo você costuma levar para fazer uma refeição?
    • (a) menos de 5 minutos
    • (b) entre 5 a 10 minutos
    • (c) entre 10 a 15 minutos
    • (d) mais de 15 minutos
  8. A diferença entre diet e light é:
    • (a) não existe diferença
    • (b) o diet tem menos calorias, gorduras e açucares do que o light
    • (c) o diet não tem açúcar, enquanto o light tem um pouco
    • (d) o diet apresenta ausência de açúcar ou gordura, enquanto o light apresenta redução e algum componente e/ou calorias
  9. Quando quer perder peso, você:
    • (a) pula refeições e não come quas enada o dia todo
    • (b) utiliza shakes, fórmulas ou medicamentos por conta própria para emagrecer
    • (c) faz um regime seu, ou segue algum indicado em uma revista ou por um conhecido
    • (d) consulta-se com algum especialista (nutricionista ou endocrinologista)
  10. Com que frequência você ingere fast food?
    • (a) diariamente
    • (b) 3 a 4 vezes por semana
    • (c) 2 vezes por semana
    • (d) 1 vez por semana

Resultados:cada resposta vale

(a) 0 pontos                  (b) 1 ponto                          (c) 2 pontos                                 (d) 3 pontos

10 pontos ou menosa qualidade de sua alimentação precisa melhorar.  Você deve estabelecer horários, quantidades e prestar atenção à qualidade dos alimentos que consome.  Procure ajuda de um especialista.

de 11 a 20 pontos você se alimenta bem, mas pode melhorar.  Procure consumir mais alimentos integrais (pães, arroz) e frutas.  Estabeleça horários fixos para as refeições, inclusive para os lanches.

de 21 a 30 pontos sua alimentação está adequada.  Sabe escolher os itens e procura se informar sobre hábitos saudáveis.

70720d762e6a2a76b9fde862062246466-001-ShoppingList

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s