Hidratação da pele no verão

Achei essa dica válida, por isso passo aqui pra quem interessar!  Busquei essa informação no site M de Mulher e aproveitei as fotos deles, logo, crédito da foto totalmente deles.

Pele hidratada no verão

Como todo mundo sabe, devemos manter nossa pele sempre hidratada, mas como fazer em dias quentes e não ficar “melada”?

Bom, para isso existe os produtos oil-free, que facilitam a transpiração e deixam sua pele respirar.  Dermatologistas recomendam o uso dos em gel, porque refrescam.
Mulher bronzeada
Pele bronzeada pede ainda mais cuidado
Foto: Getty Images

Mulher passando hidratante nas mãos

Na hora de hidratar a pele, não esqueça
das mãos e dos pés
Foto: Getty Images

Modo de usar

Espalhe o produto em todo o corpo, incluindo mãos e pés, massageando bem, não importa em que momento, alguns preferem logo pela manhã, após banho e outros à noite (recomendam os que tenham vitamina C), após banho também.  Ache o que melhor se adapta ao seu estilo de vida.
Caso prefira, busque um que já tenha protetor solar, agilizando o tempo que você tem para fazer outras coisas.

Alimentos aliados

Inclua no cardápio alguns alimentos que hidratam o corpo, como água de coco, chá light, suco de frutas e bebidas à base de soja. E, claro, beba dois litros de água por dia.

Produtos

Foto: Getty Images

Sugestão do site de produtos para hidratação da pele no verão

1- Body Care UV Protection, Neutrogena®
Preço sugerido: R$ 11,90 (fevereiro/2010)
SAC: 0800 703 6363

2- Body Care Naturals, Neutrogena® Preço sugerido: R$ 7,90 (fevereiro/2010)
SAC: 0800 703 6363

3- Softlotion Pele Fresquinha, JOHNSON’S® Preço sugerido: R$ 6,90 (fevereiro/2010)
SAC: 0800 703 6363

4- Loção Cremosa Hidratante Tropical Maracujá + Cajá, O Boticário
Preço sugerido: R$ 32,90 (fevereiro/2010)
SAC: 0800-413011

5- Sun Gel Hidratante Refrescante Pós-sol, Avon
Preço sugerido: R$ 15,00 (fevereiro/2010)
SAC: 0800 708 2866

6- Loção hidratante Cenoura & Pistache, Antídoto Cosméticos
Preço sugerido: R$ 24,50 (fevereiro/2010)
SAC: (11) 3133-5888

7- Água refrescante Cenoura & Pistache, Antídoto Cosméticos
Preço sugerido: R$ 18,60 (fevereiro/2010)
SAC: (11) 3133-5888

Atendimento Gratuitono Hospital SARAH RJ

PARA DIVULGAÇÃO!     
       ESTE É UM HOSPITAL FEDERAL SÉRIO E REALIZA UM TRABALHO MARAVILHOSO, COM TUDO GRÁTIS!
Oatendimento é totalmente gratuito.

Alguém pode estar precisando .* 

O Hospital SARAH RIO, Neuroreabilitação especializado em, inauguradono dia 01 de maio de 2009, na Barra da Tijuca e já está cadastrando para atendimento, novos pacientes adultos e crianças com as seguintes patologias:

  • Paralisia Facial
  • Paralisia Cerebral
  • Crianças com Atraso do Desenvolvimento Motor
  • Sequela de Traumatismo Craniano
  • Seqüela de AVC
  • Sequelas de Hipóxia cerebral
  • Malformação cerebral
  • Sequela de Traumatismo Medular
  • Doenças medulares não traumáticas como: Mielites e Mielopatias
  • Doenças Neuromusculares como: Miopatias, Neuropatias perifericasHereditárias e adquiridas,
  • Amiotrofia Espinhal
  • Doença de Parkinson e Parkinsonismo
  • Ataxias
  • Doença de demências e Alzeihmer em estágio inicial
  • Esclerose Múltipla
  • Esclerose lateral amiotrófica em estágio inicial
  • Mielomeningocele
  • Espinha Bífida 

O cadastro para atendimento de novos pacientes é feito exclusivamente peloTelefone:(21) 3543-7600, Das 08 às 17 horas,
de segunda a sexta-feira.

PRECISAMOS DE SUA AJUDA – URGENTE




Se podemos ajudar o próximo, porque não aqui….

 URGENTE – AJUDA

Gente, o papo agora é MUITO sério e só estou vindo aqui porque sei que posso contar com vocês!
Acredito que a maioria conheça o site Te Dou Um Dado?  né?!  Então, uma das responsáveis por ele é a Alessandra Siedschlad, a Lele. E recentemente ela postou no twitter que uma amiga dela (a @gabinacozinha) está passando por um sério problema de saúde causado por um câncer que ela teve anos atrás.
Segue o texto na íntegra postado no blog da Lele:

Vamos ajudar a Gabi?


Como eu falei no Twitter, gostaria da ajuda e das ideias de você pra gente poder ajudar a Gabi. Ela é a @gabinacozinha no Twitter, minha amiga, uma fofa. E tá passando por uma situação bem besta agora, que é a metástase de um câncer que ela já teve. Não tenho dúvidas de que ela vai sair bem dessa, mesmo porque só quem conhece a Gabi de perto sabe a força da natureza que ela é. Mas o lance é que ela perdeu o pai, que era quem bancava seu tratamento, há um mês. E tá precisando de ajuda.

A doença

Ela mesma explica que tipo de câncer teve:

Em 2004, fazendo auto-exame nas mamas, eu percebi que havia um carocinho do tamanho de uma ervilha no meu seio esquerdo e marquei consulta com ginecologista para averiguar. Na consulta, ele me disse que na minha idade era normal que a mama apresentasse algumas calcificações e fibroadenomas e não pediu mais nenhum exame.
Em setembro de 2006, mais uma vez palpando a mama, percebi que aquele carocinho que antes tinha o tamanho de uma ervilha, agora estava com o tamanho de uma bola de pingue-pongue. Foi então que marquei outro médico pq fiquei realmente muito preocupada. Ele pediu exames e me encaminhou para o Mastologista que diagnosticou o câncer de mama.
Nesse tratamento tive que fazer 3 quimios neoadjuvantes, cirurgia de mastectomia radical, depois mais 8 sessões de quimio, 25 sessões de radioterapia e ainda 1 ano de imunoterapia.
Terminadas as sessões de imunoterapia, o médico disse que eu estava curada, mas teria que fazer um acompanhamento para o resto da vida. Assim, fiz cirurgia de reconstrução da mama e continuei o acompanhamento médico.
Até que em outubro de 2009, em virtude de dores fortes e constantes na coluna, o ortopedista, analisando meu histórico, resolveu me internar para fazer exames e achou 3 pontos de metástase: um na cervical, toráxica e lombar.
Assim, tive que passar por mais uma cirurgia (na região cervical) e atualmente estou fazendo sessões de quimioterapia semanais, imunoterapia a cada 21 dias e radioterapia diariamente. A radio, graças a Deus, tem previsão pra acabar em mais 8 sessões, mas a quimioterapia e a imuno o médico diz que não pode prever.

Os valores

MENSAIS: plano de saúde: R$ 258
remédios (que ela não consegue o pegar nem no GAPC, nem na prefeitura): R$ 323
suplementos alimentares: R$ 125 a R$ 150, dependendo do mês

QUADRIMESTRAIS: PET SCAN, que o plano não cobre e custa R$ 2.800 (vai ter que fazer no mês que vem, março)

Ou seja, ela tem que ter, por mês, cerca de R$ 1400, para poder gastar com esse processo todo. E agora ela precisa de ajuda.

Ideias

A Dani, minha advogada e amiga querida, vai ler o contrato do plano de saúde da Gabi pra ver se consegue em algum momento que esse Pet Scan seja coberto por ele. Mas enquanto isso, a gente vai se virar pra ajudar da forma que puder.

No Twitter, já consegui algumas coisas beeeem legais: a Mel vai rifar uma consulta de tarô. A Tata Bohm, algumas de numerologia. A Flavia Durante ofereceu tocar como DJ em uma festa que a gente organizar, e o Mauricio Soldi também pode tocar ou fazer retoques em fotos que algum fotógrafo oferecer na tal festa. E o Vic Matos? Pode rifar umas caricaturas.

A Van Chaves oferece artesanato. O Romulo Yaron, consultas de Cabala. A Mariana Belém vai oferecer uma noite de couvert de um show seu, o que vai também ser o máximo!

Dúvidas

A pergunta é: como JUNTAR tudo isso? A gente faz uma festa? Uma rifa só? Várias? Eu estou sem ideias boas e gostaria de verdade que vocês, amigos, me ajudassem a pensar.

Vamos pensar juntos e poder ajudar quem tá precisando hoje? Amanhã pode ser a gente.

Superbeijo e OBRIGADA.

Então gente, está rolando uma vaquinha para tentar juntar a grana e se você puder, com qualquer quantia, por favor, ajude. É só clicar aqui e seguir tudo direitinho.
Quem doar deixa um comentário aqui contando que eu vou fazer um post especial para vocês.
E olha, quem puder também, divulguem nos blogs, sites, é MUITO importante gente, sério.

Fonte:http://www.casadosbrechos.com/2010/02/urgente-ajuda.html

APNÉIA DA PREMATURIDADE

            É a parada respiratória por mais de 20 segundos, acompanhada ou não de alteração de cor (palidez e/ou cianose), bradicardia (<100 bpm) e insaturação (<80% por um período superior a 4 segundos).
            Sua incidência é de que em metade dos prematuros menores de 32 semanas terão pelo menos 1 episódio de apnéia e 80% dos prematuros com idade gestacional entre 26 e 32 semanas terão 3 ou mais episódios de apnéia.  Quando relacionada apenas com a prematuridade o problema tende a desaparecer por volta da 35ª a 36ª semanas de idade gestacional corrigida.
            A apnéia pode ser primária (idiopática, típica do prematuro, relacionada à imaturidade) ou secundária (por causas diversas).
            A fisiopatologia é decorrente principalmente da imaturidade do centro respiratório (SNC), que estimula os músculos responsáveis pelos movimentos respiratórios.  A apnéia da prematuridade pode refletir a resposta final comum de organização e interconexão incompleta dos neurônios diante dos múltiplos estímulos aferentes.  Outros mecanismos também foram levantados, tais como:
·         Imaturidade do Desenvolvimento – podendo estar relacionado com a imaturidade da função do tronco cerebral e com a irregularidade da FR durante o período de sono.
·         Resposta dos Quimiorreceptores – o RN pode, em situação de hipóxia, não responder ao aumento da concentração de CO2, sugerindo que a prematuridade predisporia ao controle anormal da respiração pelos quimiorreceptores.  Diferente do neonato a termo, que apresenta hiperventilação em situações de diminuição de oxigênio tecidual.
·         Atividade Reflexa – o RN prematuro tem facilmente contração da faringe posterior causada por estímulos mecânicos, como por exemplo, a passagem da sonda gástrica.  Essa contração causaria obstrução do fluxo de ar para os pulmões, levando à hipoxemia e consequentemente à apnéia.
·         Músculos Respiratórios – podem apresentar atividade irregular devido à imaturidade, consequentemente levar à incoordenação da FR.
Classificam-se os episódios de apnéia também pela presença ou ausência de obstrução de fluxo de ar durante os episódios de pausa respiratória da seguinte forma:
·         Apnéia Central – o esforço respiratório cessa completamente, sem associação com causas obstrutivas de fluxo aéreo.
·         Apnéia Obstrutiva – presença de esforço inspiratório, porém, devido ao mecanismo de obstrução como a flexão de pescoço, a queda de língua e a obstrução de coanas por sonda, não ocorre entrada de ar.
·         Apnéia Mista – pausa no centro respiratório, precedida ou seguida de obstrução de fluxo de ar.
Causas da apnéia secundária do RN
a)     Geral – hipoxemia, anemia, hipotermia, hipovolemia, choque, pós-operatório.
b)     Infecciosas – sepse, meningite, enterocolite necrosante, outras infecções, infecções congênitas (TORCHS), vírus sincicial respiratório.
c)     Respiratórias – hipóxia, DMH grave, pneumonia, pneumotórax, atelectasia, displasia broncopulmonar.
d)     Neurológicas – imaturidade da prematuridade, asfixia perinatal, convulsão, meningite, anomalias do SNC, hemorragia intracraniana, doenças neuromusculares, herniação, má formação, depressão por drogas.
e)     Metabólica – acidose metabólica, hipoglicemia, hipocalemia, hiponatremia e hipernatremia, erros inatos do metabolismo, hiperamoniemia.
f)     Obstrutivas Respiratórias – RGE, reflexo à aspiração da faringe, reflexo por líquido na faringe, instabilidade (colapso) da faringe, posicional (flexão do pescoço), secreção nas vias respiratórias, queda da língua, traqueomalácia, obstrução nasal (no paciente com CPAP a obstrução nasal significa uma queda brusca da FiO2 para 21%).
g)     Cardiológicas – persistência do canal arterial, outras cardiopatias congênitas, arritmias por reflexo vagal.
Identificação e Avaliação de um RN com Apnéia
a)     Quando suspeitar – prematuro com menos de 1800g ou de 34 semanas de gestação que, entre o 2º e 7º dia de vida, apresentar episódio de queda de saturação ou bradicardia acompanhados ou precedidos de apnéia.  Quando não ocorrerem até o 7º dia de vida a apnéia primária raramente ocorre depois.  As crises tendem a desaparecer até a 36ª semana de IG corrigida.  Como o 1º episódio pode resultar em parada cardíaca, aconselha-se que todo prematuro com <1800g ou de 34 semanas de IG corrigida seja monitorizado por pelo menos 10 a 14 dias.
b)     Como confirmar – o diagnóstico é feito pela observação clínica e pela monitorização da FC, FR e da saturação.  Geralmente não há alteração de cor ou queda significativa da FC, alguns prematuros apresentam queda da frequência sem apnéia, geralmente estímulo vagal, com recuperação espontânea. 
c)     Conduta na Crise – iniciar com estímulos táteis enquanto se posiciona a criança e se observa se existe esforço respiratório (apnéia obstrutiva).  A estimulação tátil e um aumento transitório da FiO2 pode ser suficiente nos casos leves e intermitentes, enquanto se providencia a correção de eventuais fatores agravantes ou precipitantes.  Se nenhum desses estímulos tiver resposta, iniciar a ventilação com máscara e ambú (FiO2 de 40% ou = a anterior).  Se mesmo assim não melhorar, deve-se intubar e colocar em ventilação assistida.
d)     Exames – superada a crise, pedir hemograma, plaquetas, proteína C, hemocultura, glicemia, íons, cálcio e magnésio, gasometria e raio-x de tórax e dependendo do caso pode ser indicado ultra-som transfontanela ou de TC crânio.
Tratamento
            As medidas gerais para tratamento são: aquecer e melhorar o controle de temperatura; posicionar em decúbito ventral com o pescoço em posição de leve extensão, aspirações cuidadosas da faringe; corrigir anemia, mantendo hemoglobina acima de 12g/dl; nos prematuros <750g de peso de nascimento, não forças a retirada de todo p oxigênio enquanto houver episódios de apnéia: manter fluxo mínimo na incubadora suficiente para saturimetria em torno de 92-94% (e menor que 95%).
            A prioridade absoluta é tratar qualquer causa ou fator agravante identificado.  Corrigir os fatores precipitantes mais comuns: desidratação, hipoglicemia, hipóxia, acidose, distúrbios de sódio, cálcio ou magnésio, infecção, anemia e convulsões.
            As drogas estimulantes (aminofilina, cafeína) estão indicadas nos casos sem causa detectável, em prematuros abaixo de 35-36 semanas de idade gestacional, e não está indicado o uso profilático dessas drogas.
Assistência Ventilatória
·         CPAP nasal – pressão de 3 a 6cmH2O e uma FiO2 inicial de 30 a 40%, ajustada depois pela saturimetria.  O CPAP reduz a frequência de apnéia nos casos associados à dificuldade respiratória, na apnéia obstrutiva ou mista.
·         Ventilação Mecânica – indicada na apnéia persistente quando mesmo com uso de CPAP, drogas estimulantes ou com apnéias que se apresentam em um período curto de tempo.  PIP=10 a 15; PEEP=3 a 4; Tins=0,35 a 4,00; FR=0 a 30 e fluxo= 6l/min.